TRANSLATE/TRADUTOR

sábado, dezembro 03, 2016

NOS ÚLTIMOS DIAS DO GOVERNO OBAMA A INVASÃO DOS ESTADOS UNIDOS POR HORDAS DE IMIGRANTES ILEGAIS E NARCOTRAFICANTES CONTINUA

O texto que segue bem como as fotografias constam de uma reportagem do site americano Breitbart revelando que a invasão dos Estados Unidos por imigrantes ilegais continua a todo vapor o que comprova todas as denúncias do presidente eleito Donald Trump durante a campanha eleitoral presidencial. Organizações criminosas de narcotraficantes são os "coiotes" que introduzem imigrantes ilegais nos Estados Unidos, conforme apuraram os jornalista do Breibart Texas.

No entanto, o governo de Hussein Obama continua afirmando que a fronteira é segura. Segue mais abaixo o texto do site Breitbart com a íntegra desta reportagem exclusiva que a grande mídia normalmente escamoteia, em tradução que fiz com ajuda de tradutor online. Leiam que vale a pena. E a Rede Globo e todos os demais jornalistas da grande mídia brasileira continuam desinformando e levando as pessoas a fazerem uma interpretação completamente errada a respeito do Presidente eleito Donald Trump. 

Tanto é que tenho conversado com pessoas, até mesmo de inclinação conservadora, que reputam Donald Trump como um "maluco". Essas pessoas estão intoxicadas pela enxurrada de notícias falsas e manipuladas pelo jornalismo a soldo da canalha neocomunista que não faz mais guerrilha nas selvas, mas opera a denominada "guerra cultural", principalmente por meio da mídia, das escolas, universidades e até mesmo nos jardins de infância.

Toda essa gente é criminosa. E lamentavelmente não escapa ninguém. Alguns mentem por ideologia, mas a maioria provavelmente recebe misteriosos caraminguás por meio de organizações multilaterais, ONGs e vagabundagem correlata. Leiam o que na verdade está acontecendo nos Estados Unidos e os incrédulos parem de fazer o ridículo e não menos criminoso e idiota ato de acreditar na torrente de mentiras da grande mídia. Leiam:
Estas são as fronteiras "seguras" do governo bundalelê de Hussein Obama. Clique sobre as imagens para vê-las ampliadas
O fluxo contínuo de imigrantes ilegais dos países da América Central continua a aumentar apesar das afirmações da atual administração de que a fronteira é segura.
Breitbart Texas obteve uma série de fotografias de cidadãos preocupados que mostram grupos de imigrantes ilegais caminhando por estradas de terra depois de ter cruzado a fronteira do Rio Grande com o México. No total, os cidadãos encontraram 21 imigrantes ilegais em questão ou minutos.
As fotografias foram tiradas quase imediatamente depois que os cidadãos chegaram a um rancho privado perto da fronteira. A área onde os cidadãos interessados ​​encontraram os imigrantes ilegais é perto da propriedade privada que Breitbart Texas visitou recentemente. Durante essa visita, Breitbart Texas encontrou 43 imigrantes ilegais que tinham acabado de atravessar o Rio Grande.
A descoberta das ondas em curso de imigrantes ilegais ocorre numa época em que a Alfândega e Proteção de Fronteiras dos Estados Unidos foi forçada a reconhecer um aumento recorde no contrabando humano depois de meses de alegar que as tendências estavam abaixo de 2014. Recentemente, o Breitbart Texas informou que membros do Conselho Nacional de Patrulha de Fronteira tinham acusado o CBP de tentar manter os números de detenção de registro fora do olho do público até depois da eleição de 2016.
A área onde os cidadãos encontraram os 21 imigrantes ilegais ea propriedade privada onde Breitbart Texas encontrou os 43 imigrantes ilegais é uma área usada pelo Cartel do Golfo para mover imigrantes ilegais da América Central e outros países além do México através da fronteira do Texas com o México. A organização criminosa usa uma área no condado de Starr para contrabandear cidadãos mexicanos, criminosos condenados e estrangeiros anteriormente deportados. É nessa mesma área que o Cartel do Golfo move a maior parte de suas drogas - aproveitando a falta de barreiras físicas na fronteira e a diminuição da presença da aplicação da lei. Do site Breitbart - To read the original in English click here

Esta reportagem exclusiva é de Ildefonso Ortiz e Brandon Darby. Ildefonso é um premiado jornalista da Breitbart Texas. Ele co-fundou o projeto Cartel Chronicles com Brandon Darby e Stephen K. Bannon. Você pode segui-lo no Twitter e no Facebook.

Brandon Darby é diretor-gerente e editor-chefe da Breitbart Texas. Siga-o no Twitter e no Facebook.

OS TIRANOS TAMBÉM MORREM - AINDA BEM.


Por Maria Lucia Victor Barbosa
Em 1959, ano em que Fidel Alejandro Castro Ruz e seus barbudos derrubaram a ditadura corrupta de Fulgencio Batista, começou o grande amor da esquerda latino-americana pelo líder revolucionário, paixão que continua até hoje apesar de Castro ter se tornado, como bem definiu o presidente norte-americano recém-eleito, Donald Trump, “um ditador brutal de uma ilha totalitária”.
Inicialmente a retórica de Castro parecia ser a de um democrata e no seu documento, A História me Absolverá (1953), o jornalista Ruy Mesquita relatou não haver encontrado nenhum traço de marxismo, de comunismo ou de esquerdismo”.
Entretanto, Fidel declarou mais tarde que sempre fora marxista-leninista e que a falsa imagem de democrata foi usada apenas para não assustar. Condizente com sua verdadeira ideologia ao assumir o poder Castro cancelou as eleições livres que prometera, suspendeu a Constituição de 1940 que garantia direitos fundamentais aos cubanos e passou a governar por decreto. Em 1976, impôs sua Constituição baseada na da URSS e nela havia, entre outros artigos, os que limitavam os direitos dos cidadãos de se associarem livremente. Pela opressão, por suas próprias leis o tirano de Cuba governou despoticamente durante 49 anos. Assassinou, prendeu, torturou, matou milhares de cubanos que não concordavam com sua ditadura. E não é à toa que Cuba foi chamada de Ilha Cárcere.
Algo a ser ainda esmiuçado através da História é a ligação de Castro com a União Soviética. Possivelmente isso foi planejado  antes dele derrotar Batista e selado através de um pacto muito favorável para ambas as partes: Cuba seria sustentada pelo império vermelho e Castro teria proteção com relação aos Estados Unidos. Os soviéticos, através do caudilho puseram uma pedra no calcanhar dos norte-americanos e reforçaram a cultura antiamericana que se tornou fortíssima na América Latina. A pequena e insignificante Ilha produtora de charuto e rum podia ser, na perspectiva das URSS, um posto avançado para disseminar o comunismo em toda América Latina.
A morte aos 90 anos do último ícone da esquerda latino-americana provocou muitos louvores dos adeptos do neosocialismo. Lula, por exemplo, disse que Castro foi como seu irmão mais velho, o maior de todos os latino-americanos. Dilma também não poupou elogios. Até o Papa Francisco se disse triste com o passamento do ditador sanguinário.
Sua Santidade certamente perdoou o que Castro - na juventude estudante em colégio jesuíta - fez com a Igreja. Em 1961, expulsou 131 padres, marginalizou instituições religiosas e, aos que expressavam sua fé punia com a proibição de acesso à universidade e às carreiras administrativas. Até a celebração do Natal foi proibida.
Não vi a opinião dos gays de esquerda, mas li no Livro Negro do Comunismo que homossexuais eram tratados como “pessoas socialmente desviadas” e que por isso eram presos, sofriam maus tratos, subalimentação, isolamento. Na Universidade de Havana foram julgados em público e obrigados a reconhecer seus “vícios” antes de serem demitidos e presos.
Não vi tampouco a opinião das feministas de esquerda ou da deputada petista, Maria do Rosário. Mas na mesma obra consta que centenas de mulheres foram presas em Cuba por motivos políticos. Eram espancadas, humilhadas, entregues ao sadismo dos guardas e seus maridos eram obrigados a assistir suas revistas íntimas. Horrores se passaram nas medonhas masmorras cubanas para homens e mulheres e ainda passam, pois existem presos políticos em Cuba.
Foi-se o mais importante símbolo esquerdista da América Latina deixando como legados o fracasso econômico e o inferno social para seus compatriotas. Seu irmão Raul, que governa desde que a doença abateu o tirano caribenho, está com 85 anos. Quem sucederá na ditadura hereditária dos Castros depois que Raul também se for? Chávez, o verdadeiro herdeiro de Castro na América Latina partiu antes. Como Cuba, a Venezuela é a imagem do fracasso, da brutalidade governamental, da ausência dos direitos humanos, que configuram o Socialismo do Século 21. As figuras que remanescem no poder classificadas como de esquerda são subprodutos de caudilhos. No Brasil afunda Lula e seu PT depois de terem arrebentado o país.
Enquanto isso, transformações estão em curso no mundo: Trump foi eleito presidente nos Estados Unidos e vários líderes europeus, também de direita poderão se tornar presidentes de seus países em 2017.
Ao final desse pequeno artigo faço minhas as palavras do editorial do Estadão de 29/11/2016: “O espetacular fiasco da experiência socialista e castrista em Cuba deveria servir como prova definitiva da inviabilidade desse modelo e da natureza irresponsável, despótica e corrupta do regime de Fidel”.
(*) Maria Lucia Victor Barbosa é professora, escritora, socióloga, autora entre outros livros de O Voto da Pobreza e a Pobreza do Voto – a Ética da Malandragem, Editora Zahar e América Latina – Em busca do Paraíso Perdido, Editora Saraiva.

sexta-feira, dezembro 02, 2016

CRESCE A PRESSÃO: GRUPOS PROTESTAM NA FRENTE DA CASA DE RENAN CALHEIROS EXIGINDO SUA SAÍDA DO PRESIDÊNCIA DO SENADO

Protesto na frente da casa do senador Renan Calheiros nesta sexta-feira. Foto: DP by BandNews.
Um grupo de manifestantes se reuniu em frente à residência oficial do presidente do Senado, Renan Calheiros, em Brasília, na manhã desta sexta-feira (2). Com vassouras e uma faixa, eles pedem a saída de Renan do cargo. “Réu não pode presidir o Senado! Fora Renan”, diz a faixa. O senador não estava em casa no momento do protesto.
Renan virou réu por crime de peculato nesta quinta-feira (1) por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele é acusado de usar dinheiro de propina para pagar pensão da filha fora do casamento. A decisão do STF deu força à campanha "Fora Renan", iniciada há duas semanas em Maceió, nos moldes das campanhas vitoriosas "Fora Dilma" e "Fora Cunha".
O peemedebista é acusado de receber propina da construtora Mendes Júnior para apresentar emendas que beneficiariam a empreiteira. Em troca, teve despesas pessoais da jornalista Monica Veloso, com quem mantinha relacionamento extraconjugal e teve uma filha, pagas pela empresa.
Renan apresentou ao Conselho de Ética do Senado recibos de venda de gados em Alagoas para comprovar um ganho de R$ 1,9 milhão, mas os documentos são considerados notas frias pelos investigadores e, por conta disso, Renan foi denunciado ao Supremo. Do site Diário do Poder

Sponholz: podridão.

Clique sobre as imagens para vê-las ampliadas

quinta-feira, dezembro 01, 2016

DELAÇÃO PODE DESVENDAR MISTÉRIO: QUEM PAGA A MILIONÁRIA DEFESA DOS ACUSADOS NA LAVA JATO?

Ao menos uma centena de advogados criminalistas vivem expectativa de nova fase da Operação Lava Jato, mas desta vez os alvos seriam eles próprios. É que, em sua delação premiada, a Odebrecht finalmente esclareceu um grande mistério: quem paga a milionária defesa dos acusados na Lava Jato. Executivos revelam que empreiteiras enroladas na investigação bancam a defesa milionária de políticos enrolados. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.
Ainda não se sabe o que empreiteiras como Odebrecht gastaram (e ainda gastam) com advogados de políticos, mas pode chegar ao bilhão.
Por meio de quebra de sigilo e rastreamento, a Lava Jato pode chegar à origem eventualmente ilícita de honorários advocatícios.
A investigação da origem dos pagamentos aos mais caros criminalistas do País deve ser cuidadosa, para não ofender a lei e melindrar a OAB.
Os escritórios e o exercício da advocacia são protegidos por legislação que garante aos profissionais direitos e prerrogativas especiais. Do site Diário do Poder

REAÇÃO POPULAR AOS DEPUTADOS GOLPISTAS COMEÇA COM TOMATADA NO AEROPORTO.

Deputados que votaram contra a Lava Jato começam a levar tomadas. Vídeo postado no Youtube que viraliza nas redes sociais revela que as reações aos golpistas da Câmara dos Deputados já começaram.
O primeiro a levar um tomatada foi o deputado Weverton Rocha, do PDT do Maranhão que responde a dois inquéritos no STF, por peculado, corrupção e fraude em licitação.
Esse parlamentar foi o autor da emenda que desfigurou a Lava Jato. Como se nota, a reação popular aos golpistas está apenas começando. Esses ‘nobres’ deputados já correm da própria sombra.

Sponholz: Diógenes em Brasília.



quarta-feira, novembro 30, 2016

VERGONHOSO E INFAME: DEPUTADOS PROMOVEM UM GOLPE CONTRA A NAÇÃO BRASILEIRA.

Clique sobre a imagem para ver como se comportaram os partidos na votação. E AQUI para ver tudo no site da Câmara dos Deputados.
A Câmara dos Deputados promoveu mais um golpe contra o Brasil e os brasileiros ao desfigurar o pacote de medidas contra a corrupção. E fizeram na calada da noite, de madrugada, com fazem os bandidos e o presidente da Casa, Rodrigo Maia, não se fez de rogado e anuiu ao golpe afirmando que foi uma decisão "democrática do plenário". 
Sabe-se, todavia, que ao longo do debate muitos deputados zombavam e escarneciam daqueles poucos que defendiam o projeto original. A Nação brasileira está perante um embuste, uma sacanagem, um verdadeiro 'golpe de Estado", porquanto faz tábula rasa de uma exigência da maioria esmgadora do povo brasileiro que não aguenta mais esse banquete de abutres, cujos comensais agora querem transformar em lei o direito de pilhar os cofres públicos, de roubar impunemente.
É de estarrecer e não há palavras capazes de descrever o que acaba de ocorrer na Câmara dos Deputados local que já pode ser tipificado como "Câmara dos Horrores". 
O troço agora vai ao Senado presidido por Renan Calheiros contra o qual há uma penca de denúncias de corrupção e roubalheiras. 
Se a maioria dos senadores convalidar a decisão da Câmara ter-se-á, sem qualquer dúvida, um golpe de Estado que concede aos detentores do poder liberdade para pilhar os cofres públicos sem cerimônia. Além do mais cuidaram de aprovar medidas que intimidam juízes, promotores e procuradores. 
O site de Veja fez um resumo do que ocorreu. Leiam:
Os golpistas em ação. Foto: Veja.

GOLPE NA CALADA DA NOITE
Em uma votação que varou a madrugada desta quarta-feira, o plenário da Câmara aprovou uma série de mudanças no pacote de medidas contra corrupção proposto pelo Ministério Público Federal. Para o relator do projeto, deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), o pacote foi completamente desconfigurado.
Apesar de terem desistido de incluir no pacote a anistia à prática do caixa dois, os deputados incluíram medidas controversas e retiraram do texto propostas consideradas essenciais do projeto. O projeto seguirá agora para a apreciação do Senado.
“O objetivo inicial do pacote era combater a impunidade, mas isso não vai acontecer porque as principais ferramentas foram afastadas. O combate à corrupção vai ficar fragilizado e, com um agravante, que foi a essa intimidação aos investigadores”, disse o relator.
Ao final da votação, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu o resultado e disse que se tratou de uma decisão “democrática do plenário”. “Mesmo que não tenha sido o que alguns esperavam, isso foi o que a maioria decidiu”, disse.
Desde que o projeto foi votado na comissão especial na semana passada, líderes partidários não esconderam o descontentamento com o relatório elaborado por Lorenzoni. Segundo os parlamentares, o projeto contemplava apenas os interesses do Ministério Público.
Na madrugada desta quarta, o chamado texto-base do projeto foi aprovado praticamente por unanimidade, mas depois disso diversas modificações no projeto foram aprovadas. A primeira delas foi a inclusão no pacote da previsão de punir por crime de abuso de autoridade magistrados, procuradores e promotores. A emenda, que obteve o apoio de 313 deputados, foi vista como uma retaliação por membros da força-tarefa da Operação Lava Jato. Muitos dos que votaram a favor da medida são investigados por conta do esquema de corrupção da Petrobras.
Os deputados também incluíram a possibilidade de punir policiais, magistrados e integrantes do MP de todas as instâncias que violarem o direito ou prerrogativas de advogados. A emenda foi patrocinada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
Entre as medidas que foram retiradas do texto está a criação da figura do “reportante do bem”, que era uma espécie de delator que não havia participado do esquema de corrupção, mas que contaria tudo o que sabia e seria premiado com até 20% dos valores que fossem recuperados.
Os deputados também retiraram do pacote a previsão de dar mais poder ao Ministério Público em acordos de leniência com pessoas físicas e jurídicas em atos de corrupção.
A Câmara derrubou ainda a responsabilização dos partidos políticos e dirigentes partidário por atos cometidos por políticos filiados às siglas. Outra medida suprimida foi a tipificação do crime de enriquecimento ilícito e das regras que facilitavam o confisco de bens provenientes de corrupção.Do texto original enviado pelo Ministério Público Federal, foram mantidos no pacote apenas a criminalização do caixa dois de campanha eleitoral, o aumento de punição para crime de corrupção (com crime hediondo a partir de 10.000 salários mínimos, ou seja, mais de 8 milhões de reais), a transparência para tribunais na divulgação de dados processuais, limitação de recursos para protelação de processos e ação popular, este último incluído pelo relator no pacote. Do site de Veja

terça-feira, novembro 29, 2016

AVIÃO QUE TRANSPORTAVA DELEGAÇÃO DA CHAPECOENSE SOFRE ACIDENTE NA COLÔMBIA. PELO MENOS 70 MORRERAM E 6 SOBREVIVERAM.

O avião que transportava a equipe da Chapecoense sofreu um acidente na Colômbia, por volta da 0h30min (horário de Brasília, 21h30min no horário local) desta terça-feira. De acordo com a prefeitura de La Ceja, cidade próxima ao local do acidente, pelo menos 70 pessoas morreram e outras seis sobreviveram. O número exato de vítimas ainda não foi confirmado oficialmente.
O próprio aeroporto confirmou a queda da aeronave, que teria acontecido na localidade de Cerro Gordo no município de La Unión, no departamento de Antioquia. Ainda de acordo com o aeroporto, as equipes de emergência estão no local. O acesso ao local do acidente só pode ser feito por terra devido as condições climáticas.

— Está muito difícil para resgatar os feridos porque há muitas árvores, ainda que haja muita ajuda. Os bombeiros de La Unión, de Rionegro, de El Carmen, de La Ceja estão lá, e há mais 90 socorristas, mas não está fácil retirar as pessoas que estão vivas. Não podemos dar nenhum informe oficial até o momento — disse Hugo Botero López, prefeito de La Unión.

O avião transportava 72 passageiros e nove tripulantes. De acordo com o canal SporTV, eram 48 membros da Chapecoense, 21 jornalistas brasileiros e 3 convidados.

Entre os resgatados com vida, o lateral Alan Rushel foi um dos primeiros feridos a chegar no hospital San Juan de Dios em La Ceja. Já o goleiro reserva Follmann, foi levado para o hospital San Vicente Fundacion, em Rionegro. Os tripulantes Ximena Suarez e Erwin Tumiri, além do narrador da Rádio Oeste de Chapecó Rafael Henzel também foram encontrados com vida. Horas depois, a polícia colombiana também localizou o zagueiro Neto com vida entre os escombros.

Em nota oficial, o aeroporto afirmou que o avião reportou falhas elétricas a torre de controle da Aeronáutica Civil.

A Conmebol já confirmou o cancelamento da partida. A Chapecoense viajava para Medellín para enfrentar o Atlético Nacional na primeira partida da final da Copa Sul-Americana. Esta é a primeira vez que a equipe disputa uma competição internacional. Do site do jornal Zero Hora
Leia mais:
AO VIVO: acompanhe as informações sobre o acidente na Colômbia


Cinco profissionais da RBS SC viajavam no voo da Chapecoense

Após veto da Anac, voo fretado pela Chapecoense foi modificado

NOTA OFICIAL DA ASSOCIAÇ!AO CATARINENSE DE IMPRENSSA
CASA DO JORNALISTA
Em face da terrível tragédia com a delegação da Associação Chapecoense de Futebol ocorrida na Colômbia, vitimando jogadores, técnicos, dirigentes e jornalistas a Associação Catarinense de Imprensa (ACI) manifesta seu profundo pesar com a imensa e irreparável perda que abala a sociedade catarinense e as famílias enlutadas.
O clube de Chapecó notabilizou-se no Brasil pela determinação com que galgou posições no cenário esportivo nacional, chegando, com muito mérito, à elite do futebol brasileiro.
Essa jornada foi construída pela dedicação de dirigentes, jogadores, apoiadores e patrocinadores.
Parcela essencial desse retumbante sucesso deve-se aos  profissionais de imprensa que, com fidelidade jornalística, registraram para o mundo e para a História a edificante trajetória  da Associação Chapecoense de Futebol.
Nesse momento de dor e luto, a Associação Catarinense de Imprensa(ACI) – em nome de todos os profissionais da mídia barriga-verde – quer homenagear a memória dos profissionais do Rádio, da Televisão, dos jornais, das agências de notícias e da assessoria de comunicação que pereceram no cumprimento do sagrado dever de informar a sociedade brasileira, ao tempo em que se solidariza com todos os seus familiares.  
Florianópolis, 29 de novembro de 2016.
Ademir Arnon, Presidente.
Marcos Antônio Bedin, Diretor Regional do Oeste.
Associação Catarinense de Imprensa(ACI) – Casa do Jornalista

segunda-feira, novembro 28, 2016

REFUGIADO MUÇULMANO FOI O AUTOR DE ATENTADO COM FACA DE AÇOUGUEIRO NA UNIVERSIDADE DE OHIO, NOS ESTADOS UNIDOS.

O campus da Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos, onde ocorreu o atentando cometido pelo refugiado islâmico. Foto:WND
Como a grande mídia mais confundiu do que reportou o que na verdade ocorreu na Universidade de Ohio, nos Estados Unidos, quando pelo menos 9 pessoas sofreram atentado com facadas desferidas por um refugiado muçulmano da Somália, transcrevo, como segue abaixo, reportagem do site de notícias norte-americano WND - World Net Daily. Fiz a tradução do inglês para o português com o auxílio de tradutor online.                 
Dado ao fato de que a grande mídia, toda ela seguindo o deletério pensamento politicamente correto, aqui no Brasil e no mundo inteiro, incluindo os Estados Unidos, costuma escamotear informações de sorte a preservar a narrativa esquerdista, estou estudando inglês novamente. Não para ler o New York Times ou ver/ouvir a CNN, mas para ter acesso a informações de inúmeros sites de notícias americanos que já fazem um contraponto muito importante com a grande mídia, que os americanos de verdade denominam "media bias", ou seja, mídia e viés, parcial e devotada às causas bundalelês politicamente corretas.
Creio que com base nesta matéria do WND as coisas ficam melhor esclarecidas. E não é à toa que o presidente eleito Donald Trump deu de relho nas urnas. Agora os cidadãos americanos de bem que não chafurdam na ideologia esquerdista estão ansiosos para que Trump assuma e faça uma limpeza nos Estados Unidos livrando o povo americano dos seus algozes importados por Barack Hillary Obama Clinton et caterva do Partido Bundalelê Democrata, que se transformou numa ONG comunista dedicada a acoitar os algozes da civilização ocidental. Go Trump! Leiam: 
A polícia disparou e matou um refugiado somali quando ele estava atacando estudantes com uma faca de açougueiro no lado de fora de um prédio de ciência na Universidade Estadual de Ohio segunda-feira de manhã.
Pelo menos nove pessoas foram transportadas para hospitais da área com vários ferimentos, segundo tuitou o canal de notícias local 10TV, de Ohio, citando corpo de bombeiros de Columbus, Ohio.

Abdul Razak Ali Artan, o agressor.
O agressor morto era um estudante do estado de Ohio - um refugiado somali chamado Abdul Razak Ali Artan, que deixou a Somália com sua família em 2007 e obteve um Green Card para entrar nos EUA em 2014. Ele teria vivido perto do campus, informou a CNBC News .
Artan criticou OSU (sigla da Universidade) por não ter salas de oração muçulmanas durante uma entrevista com o jornal do campus há alguns meses. Artan criticou a Universidade por não ter salas de oração muçulmanas durante uma entrevista para o jornal do campus há alguns meses.
"Passou por cima do meio-fio para atropelar pedestres e para sair e começar a atacá-los com uma faca, foi de propósito", disse o chefe de polícia do campus Craig Stone. "Nossos oficiais estavam no local em menos de um minuto.”
Artan foi citado em um artigo que apareceu o jornal do campus, A Lanterna, há vários meses queixando-se da falta de salas de oração islâmica da escola.
"Eu queria orar ao ar livre, mas eu estava meio assustado com tudo o que acontece na mídia", afirmou. "Eu sou um muçulmano, não é o que a mídia me retrata a ser."
Ele culpou a visão negativa que os americanos têm dos muçulmanos sobre a "islamofobia" plantada em suas mentes pela mídia americana.
"Eu não os culpo," ele continuou. "É a mídia que coloca aquela imagem em suas cabeças para que eles simplesmente a tenham, e isso os fará sentir desconfortáveis".
Columbus é o lar da segunda maior comunidade de refugiados somalis depois de Minneapolis. Mais de 99% dos refugiados somalis são muçulmanos sunitas. O programa de refugiados da Somália está em curso desde pelo menos 1990 e o Departamento de Estado dos EUA continua a trazer entre 5.000 e 10.000 somalis por ano, segundo o Centro de Processamento de Refugiados da agência.
Ao todo, o governo dos EUA importou mais de 132 mil refugiados muçulmanos somalis e os distribuiu em mais de 300 cidades e vilas dos Estados Unidos. Mais de 40 somalis que vivem nos Estados Unidos deixaram o país desde 2007 para lutar por organizações terroristas, incluindo o Estado islâmico, al-Qaida e al-Shabab, segundo relatos do FBI. Dezenas de outros foram julgados e condenados por fornecer apoio material a organizações terroristas no exterior.
GOVERNADOR APOIA MUÇULMANOS
Kasich, o governador bundalelê de Ohio
O governador de Ohio, John Kasich*, tem sido um grande apoiador do programa de reassentamento de refugiados do governo federal em seu estado. Ele emitiu fortes ataques contra o presidente eleito Donald Trump durante a campanha, dizendo que a posição de Trump sobre a imigração muçulmana era "nacionalismo excessivo".
"Quando olho para a imigração, olho para um novo nível de energia. Considero a imigração como uma oportunidade ", disse Kasich ao Huffington Post neste verão. "Queremos que as pessoas venham a Ohio. Queremos integrar essas pessoas. Queremos que eles se tornem parte do nosso dinamismo econômico ".
O ataque desta segunda-feira no campus de OSU é o segundo ataque a facadas em Columbus este ano por um imigrante muçulmano.
Em fevereiro, quatro pessoas ficaram feridas, uma delas gravemente, no Nazareth Mediterranean Restaurant em Columbus, de propriedade de um cristão árabe. O atacante, nesse caso, foi Mohamed Barry, um imigrante do país africano da Guiné, que atacou clientes do restaurante com um facão antes de ser morto pela polícia enquanto gritava "Allahu Akbar!"
Há um ano, em novembro de 2015, um estudante muçulmano de 18 anos, Faisal Mohammad, foi feriu com facadas na Universidade da Califórnia em Merced, quatro colegas antes de ser morto a tiros por um oficial.
E em setembro deste ano um refugiado somali que vivia em Minnesota, feriu 10 pessoas num shopping em St. Cloud, antes que ser baleado e morto por um policial fora de serviço alerta. Ele perguntou aos compradores se eles eram muçulmanos e eles responderam que não, então ele os atacou com sua faca.
WND informou em agosto sobre o aumento alarmante de ataques de faca por muçulmanos em todo o mundo, mas os meios de comunicação cobrem esses ataques como incidentes isolados sem ligar o único denominador comum - o Islã.
A história de segunda-feira foi originalmente relatada como um "atirador ativo" no campus OSU e que a polícia do campus deu instruções para estudantes de "usarem abrigo no local" e evitar que o incidente se alastrasse pelo campus. Mas quando a poeira baixou, a polícia disse que nunca houve "atirador" no campus.
Este foi um caso de um atacante solitário tentando matar estudantes com seu carro e uma faca de açougue, disseram.
Havia 10 vítimas, alguns sofreram ferimentos do carro lançado contra eles, enquanto outros foram tratados pelos ferimentos das facadas. Nove foram considerados em condição estável e um gravemente ferido. Duas vítimas foram enviadas para a cirurgia, mas espera-se que sobrevivam.
O Estado Islâmico e a Al-Qaeda incentivaram os muçulmanos a atacar infiéis com veículos e facas. O ataque a uma multidão do Dia da Bastilha em Paris no verão passado foi realizado por um migrante muçulmano em um grande caminhão de transferência.
"GUN FREE AREA"
Ohio State University é uma zona livre de armas. Somente a polícia pode portar e carregar armas no campus.
Um usuário do Twitter, que parecia ser um estudante da OSU, relatou que um homem tinha batido seu carro contra um grupo de estudantes que estava na rua por causa de um alarme de incêndio. 
Em outra conta, um estudante disse ao Independent Journal Review que alguém puxou o alarme de incêndio e, em seguida, "emboscou" os alunos quando eles correram para fora do edifício pensando que era o início de um incêndio. Isso indicaria que mais de uma pessoa esteve envolvida em um ataque coordenado.
O ISIS (Estado Islâmico) encorajou ataques de lobos solitários usando carros e facas contra multidões de pessoas. Do site WND - Click here to read in English

*O governador de Ohio, John Kasich, é do Partido Republicano mas pelas suas posições políticas se encaixaria melhor no Partido Democrata. Por essas e outras constata-se que os republicanos foram contaminados pelos virus bundalelê. Se não fosse Donald Trump o Partido Republicano permaneceria no ostracismo enquanto seus cartolas por certo continuariam recebendo alguma coisa...por fora... Go, Mr. Trump! Drain the swamp!

ESTADOS FALIDOS, INFLAÇÃO, VIOLÊNCIA, DROGAS E ANARQUIA: O BRASIL PÓS-LULA E SEUS SEQUAZES.

Sem lastro o dinheiro não vale nada. É um pedaço da papel.
O que já apareceu de patifarias e roubalheiras durante o reinado de Lula e seus sequazes é apenas um tico da realidade. Mas já dá para compreender porque a nossas moeda, o Real, esfarelou. Uma nota de R$ 100 reais, por exemplo, cuja circulação era mais rara passou a ser corriqueira e como já afirmei aqui pode ser trocada em qualquer birosca de esquina.

Se não tivessem ocorrido o impeachment e a Operação Lava Jato o Brasil já estaria igual à Venezuela, isto é, com a população sofrendo a escassez. Supermercados estariam fechando suas portas, as prateleiras estariam vazias a violência atingiria níveis jamais imaginados. 

A bem da verdade não estamos livres desta desgraça, haja vista pela falência do Estado do Rio de Janeiro e a devastadora crise econômica que vive o Rio Grande do Sul, cujos cofres estatais foram pilhados durante o governo do petista Tarso Genro. 

Calcula-se, entretanto, que não são apenas esses dois estados que foram para o buraco. Uma matéria veiculada pelo jornal O Estado de S. Paulo é apavorante. Explica muito bem a penúria em que vivem a totalidade dos Estados brasileiros e seus municípios. E, por consequência, explica também por que Lula e seus sequazes tinham o apoio geral e irrestrito de governadores, prefeitos, deputados, senadores, empresários, enfim, falava-se até mesmo que o PT se tornaria uma espécie de partido único, a exemplo do que aconteceu no México com o PRI. Neste caso as eleições seriam pró-forma porque a oposição com viabilidade eleitoral teria sido inviabilizada.

Nessa época Lula dava voltas ao mundo a bordo do Aerolula e vivia rindo à toa. Inclusive alardeava que o Brasil já tinha acumulado uma fabulosa reserva em ouro e dólares. Se esse tesouro realmente existiu está na hora de fazê-lo aparecer. 

Em que pese tudo isso, a realidade dos fatos explica a verdade: como todos os partidos comunistas no poder fizeram, Lula e seus petralhas faliram o Brasil. Rodaram loucamente as máquinas da Casa da Moeda para comprar apoio político. Emitiram moeda sem lastro esfarelando a economia. Mesmo assim, face a leniência e fraqueza do governo de Michel Temer, continuam em ação, praticando todas as barbaridades possíveis e imagináveis, como ocupação de escolas e universidades, destruindo laboratórios e demais instalações, enquanto Lula, leve e solto, continua fazendo comícios minúsculos, é verdade, porém contando com os préstimos do jornalismo chulé e mentiroso que domina as redações da grande mídia. Basta Lula dar um traque para que o fato se transforme em notícia enquanto a economia continua esfarelando. Sem contar o fato que vivem fazendo protestos contra a PEC do teto que visa justamente estancar a sangria dos cofres públicos. 

Essa situação de penúria da economia brasileira que castiga os assalariados, a maioria da população, é fruto direto de mais de uma década de orgias variadas comandadas por Lula e seus sequazes. Nestas alturas é de se indagar: vai ter carnaval no Rio de Janeiro?

Transcrevo a seguir a reportagem do Estadão sobre o fantasma da falência que assombra Estados e municípios brasileiros e, ao mesmo tempo, explica as razões daquele apoio total e irrestrito de governadores e prefeitos, inclusive da oposição, ao demiurgo de Garanhuns. Leiam:
A FALÊNCIA DOS ESTADOS
Mergulhados em uma crise financeira sem precedentes, Estados e municípios devem R$ 120,6 bilhões aos bancos públicos, segundo levantamento do Estado. O passivo é resultado de uma política que, nos últimos anos, irrigou esses governos com recursos federais. 
Até setembro, a exposição no Banco do Brasil chegou a R$ 38 bilhões, enquanto na Caixa a dívida era de R$ 33 bilhões. No BNDES, o valor atingiu R$ 49,6 bilhões da carteira em junho – o banco ainda não divulgou dados do terceiro trimestre.
Os maiores beneficiários foram os Estados, incluindo aqueles que já estavam em péssimas condições financeiras e apresentavam maior risco de calote. A injeção de recursos foi possível porque a União avalizou a maioria das operações, ou seja, deu garantia de que pagaria a dívida em caso de inadimplência.
Normalmente, os bancos ficam mais restritivos quando clientes vivem situações financeiras desfavoráveis. Não foi o que ocorreu com os Estados – especialmente nos últimos meses. Enquanto a arrecadação caía, a carteira de crédito da Caixa para o setor público saltou 22,1% em 12 meses até setembro. O BNDES também foi mais generoso, e as operações subiram 11,8%.No caso do BB, a queda foi de 1,7% em um ano. 
O Estado apurou que, do total emprestado pela Caixa, 42,5% têm o aval da União. No BB, essa parcela é de 97%. O BNDES não informou o porcentual exato, mas disse que a maior parte dos créditos tem garantia do Tesouro Nacional.
Frágeis. Diante da fragilidade financeira dos Estados, algumas instituições têm registrado atrasos em pagamentos, que acabam bancados pelo Tesouro. O Rio de Janeiro já precisou que a União honrasse R$ 1,16 bilhão em seu lugar. Para não ficar no prejuízo, a União bloqueia dinheiro de contas indicadas pelo próprio Estado, geralmente aquelas que recebem o Fundo de Participação dos Estados (FPE) e a arrecadação do ICMS.
O relatório do Tesouro não detalha quais instituições financeiras foram pagas com recurso federal, mas dados da Secretaria de Fazenda do Rio mostram ausência de pagamentos em linhas do BNDES, BB e da Caixa em diversos meses, a partir de maio. Procurado, o órgão admitiu que está inadimplente com os três bancos públicos, sem detalhar valores, e disse que não tem previsão da normalização dos pagamentos.
A Secretaria de Fazenda do Rio afirmou que também está atrasando pagamentos de dívidas sem garantia da União. O Tesouro informou que a cobrança dessas operações é de inteira responsabilidade dos bancos.
De 2006 a 2012, o Rio obteve aval para empréstimos sem garantias da União com BNDES (R$ 1,5 bilhão), Caixa (R$ 1,16 bilhão) e BB (R$ 152,8 milhões), segundo o sistema de acompanhamento de operações do Tesouro. Quando isso ocorre, o Estado pode negociar diretamente garantias, como sua cota no Fundo de Participação ou outros fluxos de receitas.
O BNDES, por exemplo, tem R$ 14,4 bilhões de sua carteira com Estados e municípios (29%) garantida por esses recursos. Na Caixa, o porcentual é de 57%. O BB tem o menor índice: 3%. Procuradas, as instituições disseram que as operações são protegidas pelo sigilo bancário e não informaram se essas linhas estão com parcelas atrasadas.
Em meio às dificuldades, o BNDES detectou aumento na inadimplência até 60 dias de governos estaduais e municipais, de R$ 692 milhões, em março, para R$ 814,6 milhões, em junho. Em nota, contudo, disse que “a situação dos Estados não teve impacto relevante no aumento da inadimplência no último trimestre”.
Na última quinta-feira, o Tesouro anunciou que vai retomar as concessões de garantias para que Estados possam contratar novos financiamentos. As análises estavam suspensas desde maio. Com isso, o governo pretende dar fôlego aos governos estaduais que ainda têm espaço para se endividar. Do site do Estadão

Sponholz: Tsunami.