TRANSLATE/TRADUTOR

domingo, dezembro 29, 2013

COMUNISTAS ATACAM A UFSC OUTRA VEZ! AGORA QUEREM FECHAR AS EMPRESAS JUNIORES QUE INCENTIVAM O EMPREENDEDORISMO.

Nas duas fotos acima jovens universitários da UFSC que participam de Empresas Juniores. Abaixo o símbolo dos militantes esquerdistas que já tiveram os cérebros abduzidos pelo movimento comunista e se dedicam a promover sistemática agitação para impedir que os alunos dedicados e que pretendem obter uma boa capacitação tendo em vista a inserção no mercado, realizem os seus objetivos.
As Empresas Juniores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), voltadas ao fomento da atitude empreendedora dos estudantes ligando-os à realidade do mercado, correm o risco de serem fechadas. As EJs, como são denominadas essas empresas que contribuem de forma excepcional para a formação profissional dos jovens universitários, passou a ser o foco de ataque do movimento comunista que opera dentro da universidade e que deflagrou uma campanha para o fechamento definitivo dessas empresas.
Um aluno do curso de Administração da UFSC revelou a este blog a sua preocupação com o fechamento das EJs e o impacto negativo que isso trará à sua formação profissional. Esse estudante não é uma voz isolada. Há centenas de estudantes da UFSC inconformados com a destruição da UFSC, instituição outrora respeitável até que acabou sendo totalmente aparelhada por grupos comunistas, sobretudo depois que o PT chegou ao governo.
Embora o assunto esteja fervendo nas redes sociais, a grande mídia local e nacional não toca no assunto. E isso decorre, como tenho dito de forma recorrente aqui no blog, do fato de que como as instituições de ensino as redações dos veículos de comunicação também estão totalmente controladas pelos grupelhos esquerdistas. 
Acabei encontrando um matéria sobre isso no blog “Porco Capitalista”, que usa essa expressão como um ironia. Aliás, “porco capitalista” é uma das palavras de ordem da “esquerda caviar” que se beneficia de todos os os avanços tecnológicos gerados pelo capitalismo. Adoram as redes sociais e utilizam de forma intensiva todos os modernos produtos e serviços criados pelos jovens empreendedores, muitos deles saídos de empresas juniores das universidades pelo mundo a fora. No entanto, vitimas de lavagem cerebral sistemática levada a efeito nas universidades brasileiras muitos jovens se transformaram em robôs esquerdistas. É o que está acontecendo na UFSC.
Transcrevo o post do blog “Porco Capitalista”, que resume bem o que está acontecendo na UFSC, instituição que passou a ser notícia não pela sua qualidade no ensino ou pelo desenvolvimento científico e tecnológico, mas por ter se transformado num centro de difusão da ideologia comunista. Aliás, a última vez que a UFSC foi notícia nacional ocorreu quando convidou o terrorista italiano Cesare Battisti para proferir palestra aos estudantes. Leiam:
Um colaborador do nosso blog, ex-empresário Jr. e que participou do Movimento de Empresas Juniores, nos fez uma grave denúncia: Um grupo de alunos da UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina, apoiados por grupos de extrema esquerda e inclusive por partidos políticos, querem simplesmente acabar com todas as atividades das Empresas Juniores ligadas à universidade.
Segundo o nosso colaborador, eles agem através de greves, manifestações, calando de forma nada democrática, impositória, caluniadora e ditatorial o único Movimento Estudantil que tenta, de fato, mudar o país.
Na fanpage do movimento no Facebook fica bastante explícito os propósitos do movimento e seu caráter puramente político e ideológico.
O movimento mente descaradamente ao declarar seus objetivos e intenções.
Na página do Facebook, o movimento diz que seu objetivo é apenas questionar o uso da universidade, que é um bem público e mantido com dinheiro público, para atividades que envolvem o setor privado.
Porém, na assembléia realizada no Centro de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade, a pauta colocada foi a rejeição total da criação de Empresas Juniores de forma geral e indiscriminada.
Mas esta é apenas uma amostra da dissimulação, mentira e desonestidade que norteia o grupo.
Nosso colaborador conta que participou do Movimento de Empresas Juniores durante 3 anos, exercendo cargos de alta gerência, inclusive na Confederação Brasileira de Empresas Juniores e conhece de perto a realidade das EJs.
O Movimento é apolítico, porém tem o foco no desenvolvimento de negócios e na atitude empreendedora no meio universitário, sem fins lucrativos e com um custo baixíssimo nos projetos.
Esse movimento é muito desenvolvido na Europa desde 1968 e chegou no Brasil em 1988.
Hoje o Brasil é o local onde se concentram o maior número de empresas juniores e maior número de empresários do mundo.
Isso tem causado o medo e inveja nos movimentos de esquerda dentro das faculdades, principalmente nas faculdades de humanas, justamente por pregar uma filosofia diferente daquela dos partidos e grupos de esquerda.
Há casos semelhantes à este, ocorridos também na UFF em Niterói - RJ.
O foco principal no caso das faculdades de humanas, reside principalmente sobre as empresas juniores dos cursos de psicologia, onde se encontram EJs muito importantes para o movimento.
As EJs, diferentemente dos grupos de esquerdas nas faculdades públicas, não usam financiamento público, apenas se utilizam dos espaços e salas da faculdade.
Elas mantém seus custos através dos seus próprios projetos para clientes de pequenas e médias empresas. Alinhando a isso, a formação prática de empreendedorismo, parte prática que deixa a desejar nas faculdades, principalmente públicas.
Existe um alto grau de empregabilidade nas grandes empresas que disputam a tapa estes profissionais.
A doutrinação ideológica e o aparelhamento das universidades pela esquerda é cada vez mais visível, descarado e ousado. Vamos permitir que isso continue? Até quando? Até que o mesmo se repita em todas as universidades do Brasil? Ou até que toda atividade empresarial no Brasil seja criminalizada?

24 comentários:

Eu sou do Sul disse...

Pelo tipo de vestimenta e os cabelos mau cortados, percebesse quem são os derrotados. Infelizes "profissionais".

Anônimo disse...

Essa foto diz tudo: são esses maconheiros, desleixados, cabelos piolhentos, que são a solução pro Brasil ?

Se depender destes parasitas preguiçosos, o futuro que nos aguarda será muito triste.

Anônimo disse...

É o fim da picada. Cambada de maconheiro inútil.

macanudo disse...

Bom dia, Aluízio. Só existe uma solução: por a PE nas ruas do Brasil!!! Aí teremos: PAZ, ORDEM E PROGRESSO!!! FORA, CAMBADA DE DESOCUPADOS/ALOPRADOS/CANALHAS/PIOLHENTOS/INFELIZES!!!

Anônimo disse...

Campo de doutrinação bolivariana. Privatização da UFSC já.

JUJU disse...

A foto diz TUDO! Quem é quem, na universidade, na profissão, na VIDA!
Está aí o exemplo da "esquerda" que não estuda, que não lê e nem sabe nada de História.

Anônimo disse...

Lembrem-se sempre disso: comunista só pára na porrada - às vezes nem com ela...

Anônimo disse...

esses ripongas conseguem tudo isso porque o outro lado nao SE MOBILIZA!

o outro lado não se junta, não forma grupos, não participa coletivamente das ações que são de seu interesse...

nao participam por que não tem tempo disponível?

pode ser, mas lamento, serão comandados SEMPRE por esses tipos ai da ultima foto...

alias, ja passou da hora de a direita perceber que seus valores, como o liberalismo, só terão chances de triunfar se, da maneira mais irônica possível, eles tiveram a capacidade de se reunir para ações mais objetivas e pragmáticas...

sejamos sinceros, os sonháticos ai da foto sabem bem como manipular suas ações para obter os resultados PRÁTICOS que, no frigir dos ovos, eh o que acaba importando...

o Barba não eh bobo, percebeu que enquanto era sonhático, só acumulava derrotas...

quando passou a direcionar suas ações para atingir seus objetivos - e isso pode ser feito de maneira honesta, sim! - conseguiu o que tanto queria, agigantar o PeTê...

tem cabimento em um universo de, sei la, milhares de estudantes que dizem não partilhar os valores dessa gente "despojada" ser conduzidos anos e anos por essa minoria riponga?

acabou aquele tempo onde tudo era conseguido só pela inércia...

ou se mexem pra valer, ou serão engolidos por esses ripongas ai...

Anônimo disse...

Fora estudantes da esquerdalha parasita e vagabunda. É só armar as barraquinhas para vcs, canalhas profissionais, transformarem essa Universidade na CRACOLÃNDIA DO ENSINO PÚBLICO.

Jorge Nogueira Rebolla disse...

Questões de ordem nesta assembléia:

Por quê os estudantes que correm o risco de prejuízo educacional, caso as empresas juniores sejam fechadas, concedem o monopólio do agitprop aos esquerdistas?

Por quê o pessoal não troca o terno por uma roupa mais confortável e sai com faixas e cartazes em defesa da educação?

Por quê os anti-esquerdistas em geral têm medo de exposição pública?

Por quê os anti-esquerdistas aceitam os ataques e no máximo resmungam baixinho?

Quem determinou que os campus, as ruas e as praças são territórios exclusivos dos vermelhinhos?

Por quê não usar os mesmo meios que os adversários?

Alexandre, The Great disse...

As imagens dispensam legendas. Se não houvesse nenhum texto e apenas se perguntasse quem estaria mais capacitado para o mercado de trabalho, adivinhem qual grupo seria escolhido?

Anônimo disse...

"PT é o partido do Trabalhador que não trabalha,do estudante que não estuda e do intelectual que não pensa".

Frase de Roberto Campos.

macanudo disse...

Bom dia, Aluízio. Só existe uma solução: por a PE nas ruas do Brasil!!! Aí teremos: PAZ, ORDEM E PROGRESSO!!! FORA, CAMBADA DE DESOCUPADOS/ALOPRADOS/CANALHAS/PIOLHENTOS/INFELIZES!!!

Anônimo disse...

Caro Aluizio
Aqui na USP está acontecendo a mesma coisa, há tempos. Os alunos do campus não querem guardas, fumam maconha, uma moça sofreu tentativa de estrupo no banheiro, uma outra morreu ao despencar pelo buraco do elevador de um prédio em construção pensando que fosse a porta do banheiro, os vermelhinhos invadem com marreta e destrem o prédio da reitoria e por aí vai. Triste final terá este País.
Esther

Anônimo disse...

“No Brasil, revolucionário é ser liberal”. Ou: Uma entrevista imperdível


Imperdível a entrevista para o programa “Painel”, da Globo News, com Bolívar Lamounier, Luiz Felipe Pondé e Reinaldo Azevedo, sob o comando de William Waack.

A primeira parte pode ser vista aqui, e a segunda aqui.

O tema é direita e esquerda na política nacional. Algo muito raro no Brasil, tivemos três participantes que não se identificam com o tradicional pensamento de esquerda, predominante no país.

Souberam defender o ponto de vista minoritário com muita propriedade. Lamounier prefere colocar liberais de um lado, e anti-liberais do outro. Reinaldo prefere separar entre aqueles que defendem as instituições democráticas e os que julgam que seus “nobres” fins justificam quaisquer meios.

Pondé foca no indivíduo contra o aparato estatal, valorizando a questão da autonomia para os liberais e conservadores, contra a culpa coletiva e difusa que a esquerda utiliza para retirar a responsabilidade de cada um. A esquerda apela para o sensacionalismo. É uma luta desigual, e é preciso deixar claro o viés autoritário da esquerda.

A guerra é, acima de tudo, cultural, precisa ser travada no campo das ideias. A academia, as igrejas, o jornalismo, tudo está dominado pela mentalidade revolucionária. A esquerda monopolizou as virtudes e demonizou os oponentes, com base em suas intenções, supostamente ruins, elitistas, contrárias à justiça “social”. O fato de a direita brasileira ser associada ao regime militar não ajuda.

Como lembra Reinaldo, a diferença entre a esquerda radical e a moderada é de grau, mas ambas acreditam que as instituições democráticas precisam ser “superadas”, e que o partido representa a sociedade. Já a diferença entre a direita democrática e a ”fascistoide” é de essência. Os fascistas, não custa lembrar, sempre foram anti-liberais e anti-democráticos, e depositavam no estado todo o poder, como fazia a própria esquerda.

Nosso melhor aliado é o livre debate de ideias. Não temos medo dele, ao contrário da esquerda e dos anti-liberais. Que venham outros debates e entrevistas assim!

Larissa disse...

Não lê? Não sabe nada de história? Acho que tais esquecendo que história é um curso da área de humanas.

Anônimo disse...

Ao contrário do que foi dito nos comentários, os empresários juniores se mobilizaram sim para a luta. Um pouco tarde, confesso.

Foram feitos cartazes, foi armada uma tenda no Restaurante Universitário da universidade, foram distribuídos panfletos. Porém é difícil conseguir a vitória quando não se quer lutar com as mesmas armas - no caso, a injustiça e a mentira.

Marino Mondek disse...

Tire a minha foto, por favor...

Anônimo disse...

Comunistas fedorentos! Vocês podem representar qualquer coisa, mas NUNCA representarão a raça humana!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Mas, afinal, essa universidade não tem dirigentes que dêm um basta nesses GOSMENTOS nojentos? Como disse um comentarista abaixo, pelos cabelos piolhentos já dá para ver em que era estão êsses DINOSSAUROS que insistem em continuar parasitando a sociedade humana. Essses IMUNDOS não precisam trabalhar, pois os papais e as mamães, geralmente funcionários públicos com cargos de DAS (ou outro nome que recebam, filhinhos mimados de banqueiros e de Eikes Batistas (tanto que tomam a palavra do cretino mamador do dinheiro do BNDES como palavra de ordem) não precisam pegar ônibus para ir à universidade ou às escolas de ensino médio, por isso têm tempo de sobra para fazer o que êles chamam "política", aviltando o nome da Política, considerada pelos grandes filósofos gregos uma atividade nobre.

Anônimo disse...

O comentário de Jorge Nogueira Rebolla coloca várias perguntas que vão ao cerne da questão. Realmente, por que os estudantes das EJs não partem prá briga com êses PULHAS comunistóides. Não estou sugerindo partir para a briga com cacetes, revolveres, etc. Partir para a briga com ações de defesa das EJs. Elas são importantes mesmo? Então partam prá cima com ações para defendê-las. Façam piquetes com cartazes. Desafiem êsses cretinos a provar com argumentos o que está errado com as EJs. Êlesw não têm argumentos. Primeiro, porque não estudam. Segundo, não sabem o que são argumentos: só sabem repetir palavras de ordem. Terceiro, NÃO SABEM ESCREVER, pois não lêem. Os estudantes da EJs estão com medo do quê? Bom, se estão com a canalha comunista, reconheçam e vão prá casa choramingar nos colos dos papis e das mamães. Lugar de covardes é debaixo da cama.

Anselmo Lino disse...

Esse é o legado deixado por lula e pt. É preciso dar um basta nisso.

francisco mendonça disse...

O dinheiro que sustenta a UFSC é oriundo dos nossos impostos,meu amigo Blogueiro,porfavor precisamos divulgar o nome dos responsáveis pela bestialidade que toma conta dos imbecis comunistas que querem destruir de vez a nossa universidade.

Fabrício disse...

Enquanto vocês ficam reclamando e postando no Blog aqui, estes esquerdistas barbudos maconheiros sem fazer nada vão tomando conta. Sem organização na rua e sair do Face e Blog aqueles como eu e vocês que pregam a meritocracia não vão a lugar algum. Desculpe o desabafo, mas quem fica aqui está acomodado enquanto estes comunistas tomam conta do pedaço. Participo de uma ONG e só com participação e debate público com argumentos concretos e inserção no meio do povo é que iremos tirar os PeTralhas do poder.